domingo, 20 de julho de 2014

[Opinião Literária] Paul Auster - The Music of Chance

Título: The Music of Chance
Autor: Paul Auster
Número de páginas: 217

Sinopse:
"In a Pennsylvania meadow, a young fireman and an angry gambler are forced to build a wall of fifteenth-century stone. For Jim Nashe, it all started when he came into a small inheritance and left Boston in pusuit of "a life of freedom." Careening back and forth across the United States, waiting for the money to run out, Nashe met Jack Pozzi, a young man with a temper and a plan. With Nashe's last funds, they entered a poker game against two rich eccentrics, "risking everything on the single turn of a card." In Paul Auster's world of fiendish bargains and punitive whims, where chance is a shifting and powerful force, there is redemption, nonetheless, in Nashe's resolute quest for justice and his capacity for love."
Mais informações sobre o livro em: Goodreads

Opinião:
Mais um livro que, provavelmente, irá receber uma opinião negativa e que está poderá ser um tanto injusta. Fui obrigada a ler este livro para a faculdade e, portanto, nem me dei ao trabalho de ler a sinopse, apenas encomendei; a boa parte é que gosto sempre de ler e não iniciei a leitura desaniada mas, rapidamente, o fiquei - a apresentação das personagens é um pouco reboscada e são banais, ou melhor, demasiado banais que, por vezes, apenas apetecia gritar 'acorda para a vida!'. Existem algumas partes boas nesta leitura: as mensagens que vão sendo passadas de forma subentendida, a luta entre o que é correto e o que é mais fácil, o desejo de vingança. Também achei interessante o facto de terem utilizado como 'plano' o vício do jogo, não é um tema comum.
O final é um choque mas, por lado, penso que foi melhor ter terminado assim, sempre deu algum interesse ao livro.
No final, foi uma leitura aborrecida e que apenas se arrastou, uma pena pois o autor não conseguiu aproveitar elementos tão importantes como a simbologia da música, os vários valores que apresentou, apenas deixou como que pequenas ideias que mereciam ser melhor exploradas.



Sem comentários:

Enviar um comentário